Iluminação à LED é economia – e mais novidades estão chegando !

As lâmpadas incandescentes de 60 watts saíram do mercado e com o fim da comercialização das de 25 e 40 W dentro de um ano, expande-se a possibilidade de uso das fluorescentes, já consolidadas no mercado, e das novatas lâmpadas a LED (diodo emissor de luz – o mesmo usado como indicador em painéis eletrônicos).

As lâmpadas incandescentes, praticamente inalteradas desde sua invenção por Thomas Edison, têm eficiência baixíssima, pois 95% da energia gerada se transformam em calor, e não de luz.

Cerca de cinco vezes mais eficientes que as incandescentes, as fluorescentes compactas têm uma vida útil em média sete vezes maior.

Já as lâmpadas de LED, sete vezes mais eficientes que as incandescentes, poderem durar cinquenta vezes mais.

Vivendo em época de escassez de água sazonais e sendo nossa matriz de geração de energia elétrica focada em geração hídrica, fica clara a urgente necessidade de economia de energia.

A lâmpada a LED, ainda mais eficiente e durável que as veteranas lâmpadas fluorescentes, agem com ótima eficiência neste sentido.

Além da economia proporcionada e da maior vida útil, o LED apresenta outras vantagens em relação às incandescentes e fluorescentes:

  1. Menor necessidade de manutenção (imagine, por exemplo, ter que fazer trocas frequentes em galpões industriais ou saguões com elevado pé direito);
  2. Variedade de cores;
  3. Ambientalmente correto (tanto a produção como o descarte)
  4. Alta flexibilidade de uso;
  5. Economia de energia com ar condicionado (baixa emissão de calor).

Apesar de requerer um investimento, as lâmpadas de LED podem se pagar em curto espaço de tempo (um ano ou menos, até, a depender da aplicação e do tempo que permanecem ligadas).

Comparando o gasto na conta de luz de três lâmpadas diferentes, mas que geram a mesma a intensidade de iluminação, mantidas acesas por cinco horas diárias:[1]

  • Lâmpada incandescente de 60 watts gera um gasto R$ 85,00 anuais;
  • Lâmpada fluorescente equivalente terá 15 watts, com um gasto de R$ 25,00 anuais;
  • Lâmpada de LED correspondente terá 9 watts,  ocasionando R$ 12,00 anualmente.

Mas o LED não é o fim da evolução em termos de iluminação: estamos entrando na era do GRAFENO!

O grafeno, uma das formas cristalinas do carbono, é um material forte, leve e um excelente condutor de calor e de eletricidade e, recentemente, especialistas da Universidade de Columbia, do Instituto Nacional de Padrões e Ciência da Coreia e da Universidade Nacional de Seul o utilizaram para criar a menor lâmpada do mundo: a luz emitida de um ponto com tamanho de um átomo pode ser vista a olho nu. [2]

Entre as consequências desta descoberta estão o futuro desenvolvimento de computadores em que a luz, e não a eletricidade, será a condutora das informações, além de fontes de luz de minúsculas dimensões e baixíssimo consumo.

Estamos entrando numa nova era tecnológica que irá revolucionar o mundo!

[1] http://g1.globo.com/sp/presidente-prudente-regiao/noticia/2015/06/lampadas-brancas-geram-economia-no-orcamento-anual-do-consumidor.html

[2] http://olhardigital.uol.com.br/noticia/cientistas-criam-a-menor-lampada-do-mundo/49266

 

Related Post

0 Comments

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.