5 Dicas para gerar sua própria Energia Elétrica

A Energia Elétrica está cada vez mais cara, por uma série de motivos e é preciso repensar em alternativas para compensar esses aumentos.

Uma das alternativas que têm se mostrado mais interessantes é o uso da geração de energia por células fotovoltaicas, ou seja, através da geração de energia elétrica feitas pela luz solar.

A energia fotovoltaica requer alguns cuidados e conhecimentos.

Abaixo, veja 5 dicas que o ajudarão a economizar energia, contribuir com o meio ambiente e ainda gastar menos.

DICA 1: COMO SABER QUANTO PRECISO GERAR DE ENERGIA?

O primeiro passo é observar a fatura da concessionária de energia elétrica.

Esta indica, mês a mês, seus consumos nos últimos 12 meses.

No verão, por exemplo, há mais consumo com o uso de ar condicionado, ventilador, mas haverá menos consumo com a energia do chuveiro, por exemplo.

No inverno, há mais consumo para aquecer a água do chuveiro, da água da pia, uso de aquecedores, mais uso de iluminação, etc.

Faça a média dos consumos ao longo do ano, ou seja, some o consumo de todos os meses e divida por 12. Este será o valor da energia a ser gerada para o seu projeto. Esta consideração, para que não se tenha uma instalação fora da necessidade real da residência, atendendo aos seus consumos ao longo do ano.

DICA 2: POSSO USAR QUALQUER TIPO DE TELHADO PARA A FOTOVOLTAICA?

Basicamente, todos os tipos de telhados podem ser usados para instalar um sistema fotovoltaico.

Desde as telhas de barro planas, capa e canal, tipo “sanduiche”, metálicas, de cimento, onduladas, lajes de casas ou de escritórios, telhas industriais, etc., enfim, todas podem ser usadas para a instalação do sistema fotovoltaico.

Para residências novas, é recomendável que a inclinação, em SP pelo menos, seja algo em torno de 20°, pois a cada local, o sol incide com um grau e isto influi na geração.

O melhor para a instalação é ter o sol incidindo em ângulo reto com a placa solar ao meio dia.

Mesmo que seu telhado não tenha essa inclinação ideal, é possível instalar um sistema fotovoltaico e gerar a energia que precisa, com algumas adaptações, mas não no seu telhado e sim no sistema.

Entretanto, o cuidado com telhados existentes, quanto à carga a ser instalada sobre o telhado, é importantíssimo e pode gerar graves acidentes, caso não seja avaliado por profissional especializado.

DICA 3: POSSO COLOCAR EM QUALQUER LADO DO TELHADO E EM QUALQUER DIREÇÃO?

Poderá ser usado qualquer lado. Como o Brasil se situa no hemisfério sul, é para o norte, mas, também podem ser usadas outras direções. Para esta alternativa, as placas deverão ser ajustadas, através de suportes específicos, para que fiquem direcionadas para norte, direção que trará a melhor quantidade de iluminação ao longo do ano.

Há sistemas chamados “trackers”, que seguem o posicionamento do sol,pouco utilizados por terem o seu custo um pouco diferenciado, que acompanham o sol ao longo do dia e do ano, proporcionando um rendimento maior para a instalação (mais energia) e assim, menos placas fotovoltaicas. São pouco conhecidos no Brasil.

DICA 4: SE ACABAR A ENERGIA DA CONCESSIONÁRIA VOU FICAR SEM ENERGIA ELÉTRICA EM MINHA CASA?

Dependerá do tipo de projetos que você escolher: há dois tipos de projeto: o GRID TIE e o OFF GRID.

Já no GRID TIE, popularmente chamado de “on grid” é aquele que é interconectado à rede da concessionária.

Para essa interconexão, é preciso elaborar um projeto elétrico, com o dimensionamento adequado da instalação a ser feita, por um engenheiro eletricista e com CREA, para análise e aprovação, ponto importante, por ser um aspecto muito relevante devido a riscos que podem surgir.

No sistema GRID TIE, se acabar a energia da concessionária, o local ficará sem energia, já que não acumula energia como no sistema OFF GRID.

A vantagem é que não haverá o custo a cada troca de baterias, local arejado, descarte apropriado da bateria.

O sistema OFF GRID, ou sistema não conectado, terá as mesmas quantidades de placas fotovoltaicas que o GRID TIE, porém, a energia obtida é armazenada em baterias especiais, diferentes das utilizadas para veículos ou caminhões.

Precisam ser cuidadosamente dimensionadas, para atender a um determinado período sem luz suficiente (dias nublados, à noite etc.). Seria como ter uma “caixa d’água de energia elétrica”, dá para usar por certo tempo, depois tem que “encher” de novo.

O proprietário precisa informar por quantos dias as baterias deverão acumular energia sem que aja sol.

Tal qual nos veículos automotores, as baterias possuem prazo de validade, algo em torno de 3 a 4 anos e esse custo deve ser considerado, pois sem a troca programada, poderá haver falta de energia.

Há possibilidade de sistemas híbridos, ou seja, GRID TIE e com bateria, apenas para cargas essenciais.

DICA 5: SE TIVER SOMBRAS (ÁRVORE, PRÉDIO ou OUTROS), PODEREI GERAR ENERGIA?

A energia fotovoltaica é gerada através da luz (não do calor!). Neste caso, na presença de sombras, haverá sensível redução da produção de energia ou uma quantidade muito baixa que não atenderá à sua necessidade de consumo de energia.

Se o local tiver sombra de um prédio vizinho, de árvores ou de outros fatores que podem produzir sombras, antenas, caixa d’água etc., será preciso analisar com mais detalhes, na maioria dos casos, sempre existe uma alternativa.

A fotovoltaica pode ser instalada no solo, lajes, onde não existam sombras, por exemplo, mas dependerá de análise adequada do projeto.

O interessado deve disponibilizar o projeto do local a ser instalados, ainda detalhes de sombras existentes e fotos do local de modo a ilustrar da melhor forma possível o futuro projeto ou receber visita de avaliação.

 

Que mais dicas? Fale com a Alltomatic, teremos prazer em colaborar com seu projeto.

Related Post

0 Comments

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.